terça-feira, 30 de novembro de 2010

Avaliação Processual

Chegamos à etapa final do processo das disciplinas Estágio Supervisionado 3 e Ateliês Integrados. Nesta última etapa, a média final, no projeto, será composta por três ações. São elas:

1 - Avaliação Processual (Estágio Supervisionado 3): Texto avaliativo do processo tendo por critério o texto "Considerações Finais" da disciplina Estágio Supervisionado 3. As respostas das questãos deverão indicar reflexões sobre o processo vivenciado, descrevendo como foi cada etapa:

          ·       Percurso "estranhamento do familiar"

·       Escolha da porta de entrada
·       Etnografia da porta de entrada
·       Elaboração da proposta de intervenção
·       Discussão nos fóruns da proposta com orientações com formadores e tutores
·       Realização da proposta (aplicação)
·       Avaliação dos resultados (esta que você está fazendo).
Avaliação Processual
Para a realização da atividade de Estágio Supervisionado III, o Projeto de intervenção Pedagógica, teria que ser escolhido dentro de minha cidade um espaço, um bairro ou parte do mesmo. Escolhi o Setor Boa Vista, por um motivo muito simples: minha curiosidade em relação aos ciganos que lá residem. Conforme tínhamos estudado sobre a cidade educadora, Cavalcante nos mostra que a cidade é “um lugar que abriga, produz e reproduz culturas”.  E, o povo cigano traz uma cultura muito peculiar que provoca não só a curiosidade, mas também o respeito de todos. Portanto, minha porta de entrada seria a comunidade cigana de Cezarina.
Após a escolha da porta de entrada, realizei contato com os líderes dos ciganos residentes em Cezarina, e expliquei o motivo de minha visita, que seria a elaboração de um projeto que pudesse valorizar a cultura de seu povo. Fui muito bem recebida, eles são muito alegres e comunicativos. Uma coisa que chamou muito a minha atenção foi a maneira deles se comunicarem entre si, quando utilizam um dialeto próprio. Fiz questão de registrar conversas sobre o cotidiano neste dialeto e postei no vídeo sobre a porta de entrada.
 Minha primeira idéia seria uma exposição com fotografias e vídeos sobre a história dos ciganos desde a antiguidade para que os nossos ciganos pudessem entender sua origem. Para isso, seria montada uma tenda decorada a rigor. Mas, seguindo as orientações das professoras, mudei de idéia para que tivesse uma participação mais efetiva no projeto. Como seus costumes são diferentes dos nossos, não me atrevi a levar uma proposta pronta, e sim uma série de trabalhos artesanais para que pudéssemos discutir e estive sempre pronta a receber novas sugestões. Dentre todas as que propus, (maquiagem, vestuário, decoupage...) eles escolheram por unanimidade a decoupage em madeira. Achei interessante a escolha porque eles assim como na antiguidade ainda utilizam baús de madeira decorados para guardar suas roupas. Então, o próximo passo seria a escolha do tema das gravuras. Para isso, utilizamos imagens da internet, através do notebook que eu levei, assim teríamos mais opções de escolha. Confesso que não imaginava a euforia que isso causaria entre eles, comecei mostrando imagens de vários tipos de ciganos e fomos conversando ao mesmo tempo sobre as diversas possibilidades, no entanto eles escolheram as imagens ligadas ao vestuário. Deixei que escolhessem à vontade, e depois selecionamos as melhores (tamanho e resolução), que posteriormente foram editadas por mim para melhor resultado de impressão.
Deixamos marcado o próximo encontro para a realização do projeto. Durante todo o processo mantive contato com as professoras responsáveis pelo acompanhamento e realizei as correções por elas sugeridas. Durante esse espaço de tempo, realizei cursos de decoupage em Goiânia, para que aprendesse a técnica e pudesse aplicá-la com maior eficiência. Foi um aprendizado muito prazeroso. Diverti-me muito nos cursos.
No dia marcado, preparamos o local com bastante entusiasmo. Logo em frente à tenda dos ciganos coloquei várias mesas ao ar livre, e apresentei o material que seria utilizado e expliquei a técnica. Entre eles, seis pessoas se candidataram a realizar a atividade, quatro mulheres e duas crianças de mais ou menos 10- 11 anos de idade, inclusive um deles era um menino. Confesso que para mim o trabalho dele foi o que mais se destacou. Toda a intervenção foi registrada em vídeo e fotografias. Além dos participantes na atividade, vários ciganos das mais diversas idades, fizeram questão de prestigiar o evento. Era um misto de curiosidade e satisfação por terem sido escolhidos para a atividade. Eles conversavam bastante, por vezes no dialeto deles, empolgados com a nossa visita. Apesar de não terem nenhuma prática em decoupage, eles demonstraram uma grande habilidade em trabalhos manuais, e queriam ir além do proposto, enfeitando cada vez mais as caixas, utilizando cores fortes e vibrantes. Conforme combinado, as caixas ficaram com eles como presente pela participação no projeto. Após a realização da atividade, fizemos um lanche, foi um momento de muita alegria e descontração.
            Agora, avaliando esse processo, percebo o quanto foi importante e feliz a minha escolha. Não só por poder adentrar nesse espaço antes visto por mim através dos olhos preconceituosos da sociedade, mas também pelo fato de ter a oportunidade de mostrar a outras pessoas essa nova visão dos ciganos. São pessoas alegres, comunicativas e muito acolhedoras. Sempre preocupadas em agradar seus visitantes, demonstrando gestos de carinho e afetividade. Penso que a inclusão desse povo na sociedade é muito importante e que a educação, principalmente através da arte, pode e deve promovê-la. Eles possuem uma riqueza cultural invejável, e que precisa ser resgatada e valorizada. É preciso que esse resgate aconteça o quanto antes, pois é perceptível a mudança no comportamento deles, seja através da moradia, do vestuário, alimentação... Não podemos deixar que seus costumes se percam. A presença deles em nossa comunidade, como nas demais, deve ser vista como motivo de orgulho. E, as escolas deveriam se atentar para esse fato. Por isso, acredito que a realização desta atividade serviu para contribuir para com a minha cidade, para que ela se torne cada vez mais uma cidade educadora.

                                                                 Projeto executado